Lara Fabian : O retorno ao estilo eficaz do seu início!

Confira a tradução da crítica sobre o novo álbum "Ma Vie Dans la Tienne" pelo PtitBlog que é inclusive uma das maiores críticas publicadas na web francesa até agora. As nóticias sobre o álbum sairam em diversos sites de notícias e jornais. Confira a crítica.



A chegada de um novo álbum de Lara Fabian é sempre um mini evento na esfera midiática pela ligação da cantora com seu público que  é forte. Após uma longa travessia no deserto fazendo álbuns em declínio nos países francófonos e com problemas de saúde, a cantora parece enfim reencontrar o caminho do sucesso e oferece aqui um novo álbum onde as melodias e os textos marcam um retorno às canções fortes do início de sua carreira. Com Ma vie dans la tienne, Lara Fabian recuperará seu lugar de  antigamente?

Fazia muito tempo que um projeto de Lara Fabian não tinha enchido nossos olhos... É preciso dizer que a artista estava perdida em  projetos muito complicados em alguns momentos (Le Secret) e ruins em outros (TLFM). Depois do lançamento do cd 9 em 2005 ela teve uma enorme dificuldade
de convencer o público e a consequência disso nas vendas dos álbuns foi imediata.  O lançamento fraco de seu álbum de reprises TLFM em 2009, foi inclusive marcado por uma quebra de contrato com sua gravadora de anos a Universal Music no ano seguinte. Menos presente nos páises francófonos nessa época, Lara fabian se concentrou então nos países do leste europeu, onde o projeto ambicioso do Mademoiselle Zhivago lhe permitiu fazer um filme para ilustrar as canções. De uma dureza extrema em certos momentos, a cantora finalmente vetou o lançamento das imagens para a decepção de seus admiradores que queriam um meio de se religarem a uma credibilidade perdida.

Em 2013 ela fez seu retorno aos países francófonos com o Le Secret um caminho musical ao encontro da felicidade interior. Um álbum  que nós levamos tempo até compreender antes de o apreciar no geral, mas mal acolhido pela crítica e no qual a cantora peca pela técnica  vocal, tornando difícil a compreensão dos textos. Taxado de muito complicado, não comercial, e não muito popular no sentido da abrangência do projeto, as vendas foram modestas e o projeto balançado por diversos imprevistos.(O problema auditivo). A consequencia foi terrivel na sua carreira: apesar das datas marcadas como o Théâtre du Châtelet em Paris ela teve que optar pela anulação total da turnê Le Secret e assumir as milhares de decepções dos seus fãs no primeiro momento que tinham uma alegria de rever seu ídolo depois de tanta ausência. Uma experiência traumática pra artista que então teve que recorrer ao silêncio para se recuperar. Segue-se a isso algumas datas esparçadas no leste europeu pra reencontrar o gosto do palco e reapreender pouco a pouco como usar plenamente seu instrumento. 
Uma gravação desses momentos em Praga foi feita como um cartão postal de lembrança desse período. "Un soir autour du monde" será  exibido em várias salas de cinema em 6 de novembro, dia do lançamento do novo album.  

Esse ano, mais determinada que nunca a recuperar seu lugar Lara Fabian anunciou seu retorno com a música "Quand Je ne Chante pas".  Um single escolhido para abrir caminho para o álbum, um projeto que soa como um novo sopro pra artista que tomou tempo para escrever um texto para cada um de suas  próximos.  Que seja para sua melhor amiga  em "Ma vie dans la tienne" ou ainda para seu marido em "L'illusioniste" ou outros títulos dedicados a suas experiências de vida. Lara Fabian oferece aqui um álbum bem pessoal que ela quis como uma homenagem aqueles e aquelas que a construiram e à resiliência que adquiriu ao longo de suas provações.
Composto e escrito com a cumplicidade de David Gategno et Eloide Hesme o album Ma vie dans la tienne renova com a qualidade dos álbuns de antes. Situado entre um Carpe Diem de 1994 e un Nue de 2001 o album propõe músicas eficazes com melodias que apegam. Na parte da voz, não há nada para ser dito, tem pra todos os gostos. Ela que conheceu um verdadeiro ataque midiático há alguns anos e que silenciou sua voz  para "diminuir o volume sonoro", parece aqui ignorar as críticas e cantar, simplesmente cantar. "Le Desamour" colocada em terceiro na tracklist é nossa primeira conquistadora. A melodia e a voz roqueirizada da cantora são uma maravilha que faria um excelente single e que nos mostraria uma outra face da artista. E esse é sempre o problema com Lara: os riscos nunca são totalmente assumidos e são justamente os singles mais "fabianescos" que são colocados como música de trabalho dos seus álbuns. Ou então há uma problema de comunicação com a gravadora que lançou como single as menos melhores do álbum.  Devemos dizer que não, definitivamente, Quand je ne chante pas e Ma vie dans la tienne não são as melhores músicas desse álbum.Nós teríamos preferido por exemplo a magenifica "S'il ne reste qu'un sami", onde  a construção "crescendo" da canção nos joga progressivamente um um rio de lágrimas e emoções. Mas é bom reouvir a cantora  do início da carreira que não parecia nunca estar perdida e ser  um mero fantasma dela mesma como em seus últimos projetos.

"Envie D'en rire" a quinta música, leva tempo pra se colocar a favor de nossos ouvidos. A canção é suave e marcada por uma mistura de sonoridade bossa que atinge o objetivo. Ela oscila entre inspirações ciganas, de acordeons e é melódica. A canção é envolvente e a prova disso é que a melodia fica na cabeça. Em "Le coeur qui tremble" nos reencontramos o lado da balada que é bem significativo no universo de Lara Fabian e que é sempre o momento esperado nos seus shows. Uma música com um trio vitorioso de clavier, piano e violão. Nós chegamos a canção mais festiva do álbum "Ton désir" que poderia  bem ser o terceiro single oficial do álbum. O final é grandioso, com um coro que dão a música um final explosivo. "L'illusioniste" é como já dissemos uma alta homenagem a seu marido, mágico na vida. O começo soa bem honrável e a música é uma verdadeira junção  de palavras postas em música sem verdadeiramente nos impactar. A cantora faz bem mas nos deixa um pouco de lado nessa música  que soa como uma doce balada vestida de notas glockenspiel.
"Elle danse" faz pensar logo em "Danse" segundo single de seu álbum anterior "Le Secret." A diferença notória é que nos aqui compreendemos perfeitamente as palavras, o que eu não aconteceu com a fracassada Danse... "Elle Danse" aparece mesmo nas músicas preferidas do álbum.  A melodia agora é eficaz e moderna e é finalmente tudo que esperavámos de Lara Fabian, mais evidência.

"Reléve-Toi" agradará aos fãs de músicas mais triturantes. A voz da cantora é bela e está lá e agradará aqueles que a preferem em grande pulsação vocal. Uma canção que soa como um grito de guerra pra ela que soube, que teve principalmente, de se dar a volta por cima quanto as provas de sua carreira e de sua vida pessoal. É a vida, diremos nós? De fato, a canção soa como um grito de esperança aqueles e aquelas que tem provas à passar e como um grito de otimismo à vida, uma ode a perseverança e a ação. " O que não mata te torna mais forte...  a mensagem é clara e Lara Fabian parece ter encontrado essa força ao longo de suas provações.
O álbum chega ao final com a bela "L'oubli" que se abre para sonoridades orientais que abrem o caminho para uma viagem interestelar. É nosso última canção querida do álbum. Um final apoteotico como sempre a cantora sabe propor para que no fim do álbum nos tenhamos vontade de ouvi-lo de novo. Foi preciso esperar esperar desde 2001 e o lançamento do Nue para que enfim um de seus álbuns nos desse essa sensação! "L'oubli" é sobre um período de vacas magras? Em todo caso essa música prova para aqueles que escreveram que a voz da cantora havia perdido sua pulsação e que ela estava enfraquecida. Aos 45 anos, Lara Fabian não perdeu nada de seu fólego e parece ter reencontrado a fé em seu instrumento. Aqui ela não tem medo de o utilizar plenamente, mas no fundo ela não que provar nada a ninguém.

Nós erramos em enterrar rápido Lara Fabian que faz um retorno à qualidade do início da sua carreira. Hoje em 2015 com a chegada do novo álbum nos podemos crer que enfim Lara Fabian vai reencontrar seu pedestal e abrir caminho  para belas retomadas midiáticas. Em todo caso o caminho parece traçado, quando a qualidade está lá é preciso olhara para o passado e aceitar que nada é imutável. [...] Fiel a sua terra natal ela começara sua turnê europeia pela Bélgica no mês de março antes de voltar ao Palais des Congrès em Paris no dia 3 de junho de 2016. Nós conlcuimos em uma palavra: Enfim!

Tradução: John
Compartilhar Google Plus

Autor Jonathan

Postagens Relacionadas

3 comentários :

  1. Não entendi essa parte, como assim diminuir volume sonoro???

    "Ela que conheceu um verdadeiro ataque midiático há alguns anos e que silenciou sua voz para "diminuir o volume sonoro", parece aqui ignorar as críticas e cantar, simplesmente cantar."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uns bostas disseram que ela gritava apenas isso,

      Excluir
    2. Foi uma crítica duríssima que ela recebeu se não me engano na França dizendo que ela estava gritando demais em suas canções.

      Excluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial