Scans: Revista Télépro

Confira a tradução e os scans da entrevista que saiu no último dia 13 na revista Télépro:



"Lara Fabian: Minha vida sempre foi uma mala"

Lara Fabian sinaliza um grande retorno após três anos de uma aventura bela nos países do leste,mais especificamente na Rússia. A prova disso é um cd e um dvd de um dos quatro concertos dados no palácio do Kremlin(24.000 espectadores em quatro noites) agregados à um livro e à sublimes fotos que nos transporta à esse conto russo,lírico,sinfônico,e melancólico ao mesmo tempo. Reencontre uma cantora e uma mãe delicada.
TL: Você chama essa aventura de um parentese encantador....
Lara: Pra minha grande surpresa,eu descobri que as minhas canções eram valorizadas e muito conhecidas por lá e que o publico me esperava. A alma eslava é romântica e nostálgica. Eu fiz algumas turnês e eu tive o prazer de poder cantar no Kremlin, e foi a demanda dos fãs daqui que me fizeram lançar esse box.
TL: Sua popularidade caiu na sua vida por aqui?
Lara: Por um momento aconteceu.Houve um embargo imediato com uma conotação absurda de que as "chanteuses à voix"(cantoras que gritam) não interessavam mais as pessoas. No leste podemos dizer a música das mulheres ainda não morreu,é quase assustador. Nesse tempo,eles notaram que eu poderia cantar  em plenitude nos países do leste,da Romênia à Israel. E em Moscou tive um belo reencontro profissional.
TL: Você trabalhou com Igor Krutoy,compositor,pianista,e produtor que se apaixonou por sua voz...
Lara: Ele é enorme,praticamente um Elton John local. Apesar das barreiras linguísticas entre nós, e os vários interpretes, nós nos cativamos e nos compreendemos. A música é linguagem muito direta.
TL: Você vive sempre na Bélgica?
Lara: Minha vida é sempre uma mala e um hotel,mas quando eu não estou em turnê eu fico com minha família em Brabant Wallon. É muito agradável revê-los. Eu amo a doçura e a descontrações dos lares. Quando eu morava no Quebéc,meus pais me faziam muita falta. Meu pai foi aquele que me permitiu ser independente hoje, não dever a ninguém hoje, e a fazer minhas economias... Eu estou preparando um álbum para a próxima primavera, e não será mal retornar ao Quebéc, que continua sendo o lugar onde eu me alimento,onde eu vou buscar inspiração. Com Igor,eu prevejo também um segundo álbum.
TL: Mas você não para...
Lara: É a minha natureza! Eu não preciso estar constantemente em movimento,mas eu amo escrever e exportar sentimentos que quase sempre eu não consigo dizer, e canta-los é claro... Eu sou irmã de alma da música.
TL: O que você apreendeu de todas as coisas que você viu através do mundo?
Lara: A sensibilidade me toca! Como em um álbum de fotos,eu não misturo as viagens. Eu tenho lembranças incríveis de belas pessoas: uma japonesa que deve se inclinar diante dos homens em Tóquio,uma jovem tradutora russa que virou uma amiga próxima, a acolhida calorosa e fabulosa dos fãs brasileiros, os médicos cubanos que não têm muita coisa... Minha vida,são os outros,caso contrário ela não faria sentido.
TL: Lou tem quatro anos, como ela está? Ela canta como a mãe?
Lara: Ela tem um caráter forte,ela ama os mistérios e é muito curiosa. Ela canta muito,todo tempo, e ela dança também. Eu sou sua mãe,não uma pessoa que vai lhe impedir,ela fará aquilo que ela quiser. Ela é o maior presente da minha vida,nunca imaginei tamanha felicidade.

Tradução: Jhon

Compartilhar Google Plus

Autor Jonathan

Postagens Relacionadas

1 comentários :

  1. Linda entrevista... Obrigada por compartilhar!!

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial