Entrevista da Lara para a revista "La Semaine" (Outubro/2010)

Como todos viram, há alguns dias atrás foi postado aqui no LFBR os scans das revistas que Lara foi destaque no começo de outubro: "La Semaine" e "7Jours". Confira a tradução completa da matéria da revista "La Semaine", em instantes a tradução da revista "7Jours". Para ver todos os scans clique aqui.


" Lara Fabian finalmente retorna à dobra para dar-nos o álbum Toutes Les Femme em Moi,
em que celebra as grandes damas da música, que influenciaram os rumos de sua carreira. 
Ela falou falou de seu amor por Quebec, sua filha, Lou, e sua mãe, Luisa.  "

La Semaine: Você deixou de ir ao Quebec em 2004. Você achou isso difícil?
Lara Fabian: Sim, eu vivi minha partida como uma grande tristeza. Na verdade, eu vivi como um desgosto real.
LS: Por quê?
LF: Porque é isso que eu sinto. Eu fiz isso por razões que eu prefiro guardar para mim. Foi entre Mutrie, para se aproximar de minha família. 
Ao sair do país, eu precisava de conforto e eu senti a necessidade de estar rodeado pela minha família.
LS: Em 2006, você foi encontrada em tribunal relativo a uma disputa entre você e seu ex-namorado e ex-colaborador Rick Allison. O que você lembra sobre seu relacionamento com ele?
LF: O que me deixou essa relação, não é nossas diferenças .. Sem a nossa união, eu nunca teria passado por esses sucessos, as alegrias, as realizações. Rick Allison foi no meu passado, a parte mais bonita da minha vida ..
LS: Você manteve laços com ele?
LF: Nada é destruído, mas não há mais nenhuma ligação entre mim e ele.
LS: Você também foi vítima de um tumor no fígado?
LF: Sim, eu fui diagnosticada em 2004 e, felizmente, está tudo bem agora. Eu não estou muito à vontade sobre qualquer coisa. O importante é que estou fora. Eu sempre disse que esta não era a doença que iria me colocar para baixo. O pensamento positivo também me deu uma grande mão na minha recuperação. Hoje, eu acredito fortemente no poder do pensamento.
LS: Você esta aqui por alguns dias e você ainda acredita que o Quebec é o lugar onde você se sente melhor do mundo ...
LF: Sim, sem dúvida, e eu digo isso não para impressionar as pessoas. É o que redicena dentro de mim. Eu amo este ar de lá e simplicidade das pessoas. Eu não estou falando sobre a simplicidade como uma falta de profundidade .. Eu tenho amizade, fé, que já dura 20 anos, as pessoas com quem tenho conversas muito longas.
LS: Você vendeu sua casa em Quebec?
LF: Sim. Vender minha casa e colocar tudo em um caminhão foi a coisa mais difícil que fiz na minha vida.
LS: Você vem muitas vezes em Quebec?
LF: Pelo menos uma vez por ano. Às vezes eu só passo três dias sozinha. Tenho pessoas que andam comigo até Montreal. Mesma coisa em Bruxelas. Por contras, em Paris, eu não iria me permitir fazer isso. Este ( Quebec ) e Bruxelas, adere bem à máxima "viver e amar a vida".
LS: Você acredita que vai voltar um dia viver em Québec?
LF: Eu sei que vou estar de volta. Eu posso estar velha, minha filha pode ter se formado, mas eu sei que é o que eu preciso ser .. Todos nós temos uma raiz que nos liga, sem saber por quê. Eu, eu sinto que ele está em Quebec. Você sabe, Quebec não é a terra do meu nascimento, minha cultura, minha língua, minha escritores, a minha música. E, no entanto, este festival me fez nascer, descobri isso sozinha. Eu tenho isso desde quando eu tinha apenas 19 anos.
LS: Você vive hoje em Bruxelas?
LF: Sim, nos arredores de Bruxelas.
LS: Conte-me sobre o seu ambiente ..
LF: Eu moro em uma casa de campo com um jardim cercado por árvores antigas. Eu não tenho nenhum animal, mas não vai demorar. Minha filha vai me pedir em breve.
LS: Falando de sua filha, Lou, que tem quase três anos, como você lida com o seu papel tão bem?
LF: Isso nem sempre é óbvio. Como todas as mães de vida agitada, tenho de fazer compromissos entre a mãe que eu preciso, 
e é a artista mulher e eu sei.
LS: E como você gostaria de assumir as duas funções?
LF: Estou segura por estar rodeada pela minha família, que cuida da minha filha quando eu não estou lá e não permitindo que ela tenha um estável e sereno. O cuidado de toda a minha filha.
LS: Você quer ter outros filhos?
LF: Eu não sei ainda. Certamente eu não seria a mulher que eu sou sem a minha filha.
LS: Sua gravidez correu bem?
LF: Absolutamente. Tenho filhos saudáveis, e eu esse ciclo só tirei nove e meia para mim a gravidez.
Além disso, acompanhei meu marido, que quer a mesma coisa que eu.
LS: Você tem dado a conhecer grandes paixões românticas na sua vida que você aprendeu no homem?
LF: Ensinaram-se a me desafiar e entender como Tal quer ser amado.
LS: Você sabia imediatamente que Gérard Pullicino era o homem em sua vida?
LF: Eu não sei ainda. Este é o meu companheiro. Espero que possamos fazer uma longa viagem juntos em compreenção mútua,
 com tudo o que a vida e a comunicação que você precisa para relaxar.
LS: Vamos falar sobre o seu álbum. Por que você escolheu fazer um álbum de regravações?
LF:  veio para mim depois de uma discussão desse com minha melhor amiga. 
Nós perguntamos como tornar aquilo para fora. 
Na reflexão, eu vi como houve grandes mulheres da indústria cinematográfica, a invasão literária e musical influenciou a minha vida. 
Dos MAIS vence idéia de fazer um registro em sua honra.
LS: Como você escolheu as músicas?
Eu agi como um fã. 
Para os contras, os cantores não são coros Por rígido. 
Cada mulher tem seu motivo para estar no álbum.
 Eu escolhi as mulheres que têm o mesmo ponto comum, a mulher que nunca absolutamente ao vivo no compromisso, 
as mulheres totalmente valiosas ...
LS: Você ainda teve tempo para escrever uma carta para cada uma dessas 12 mulheres para lhes agradecer, não é?
LF: Isso mesmo .. Mesmo que isso não fosse a idéia original, decidimos divulgar esta carta para o público, como elas aparecem no encarte do álbum.
LS: Você escreveu um Celine Dion ..
LF: Claro que sim. Convido as pessoas a lê-lo.
LS: Qual é o seu relacionamento com ela?
LF: Eu cruzei com ela algumas vezes, mas nós não nos conhecemos tão pessoalmente
LS: Qual é a mulher mais tem influenciado sua vida?
LF: Minha mãe. Isso me ajuda a sentir-me culpada, por exemplo, no meu papel de mãe.  Ela sempre me fez entender que ela era a melhor mãe que ela poderia ser.  Deus sabe que ela foi a melhor mãe que eu poderia ter.
LS: Você se inspirou nela em seu papel como mãe?
LF: Claro.
LS: O que vocês tem em comum?
LF: Nós duas somos generosas e corajosas. Mas eu não tenho essa sensação de leveza que é intrínseca às vezes certas situações. Eu ainda tenho muito trabalho nela e tentar apaziguar-me com respeito a determinadas situações.
LS: Conte-nos sobre a sua filha, Lou, parece com você?
LF: Eu não consigo achar, embora a minha mãe diz que sim ...
Enunciado Revista: " Lara em seguida, mostra imagens em seu celular ...
Sua filha é absolutamente adorável. Ela tem olhos grandes como a mãe, mas um sonho azul ... 
Com seus cabelos loiros castanhos encaracolados, ela parece um pouco com o Annie Etienne e um pouco com Shirley Temple. "
LS: Ela canta um pouco já?
LF: É extremamente atraída pela música. Seus pais são músicos. Meu marido é um diretor, eu canto, a maça não pode ter caído tão longe da árvore. Mas a minha filha, não esta disposta a seguir os meus passos, a decisão pertence a ela... Eu nunca a obrigaria a fazer música. Eu não ponho o piano como se fosse obrigado.
LS: Você é ansiosa?
LF: Eu sou uma mulher que deve muito, e isso, em todos os aspectos da minha vida.
LS: Você achou difícil ter 40 anos?
LF: Não. Isso, é uma das únicas coisas em que eu vi nem dor nem neurose ou mistério.
Aceito o envelhecimento. Eu vejo o que comer, e meu sono, e beba muita água.
LS: O que você acha da cirurgia plástica e botox?
LF: Eu não digo não. Se eu acordar um dia e eu parecer um velho papel amassado, talvez eu pense. Para o inesperado, encaro a idade positivamente.
LS: Quais foram os acontecimentos mais importantes que você fez durante sua carreira?
LF: Eu nunca vou esquecer um encontro com Barbra Streisand, Johnny Hallyday e Michael Jackson. 
Conheci Michael Jackson em 2001 como parte do concerto de Natal Milagre na Rua 42, em Nova York.
Eu lembro que eu estava cantando Adagio. Ele me tomou em seus braços e disse: "Você canta como um anjo"

-------------------------------------

Muito obrigado à minha amiga e fã de Lara, Maria Caroline Dias pela tradução completa ;)
Compartilhar Google Plus

Autor Jamerson

Postagens Relacionadas

0 comentários :

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial